quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Obras no Túnel da Conceição.

          Deveria a prefeitura de nossa bela capital aproveitar esta ocasião da reforma do túnel da Conceição para estimular os motoristas a utilizar rotas alternativas, diminuindo o acesso pela área central, especialmente pelo próprio túnel.
          As rotas alternativas foram propostas no governo Tarso Genro quando prefeito mas por não criou nenhuma obra nova que obrigasse uma mudança de postura. A idéia era chamar a atenção dos condutores para a utilização vias paralelas, principalmente das vias secundárias, para um deslocamento mais rápido. Só que este tipo de mudança de pensamento esbarra num problema crônico da cultura gaúcha de ser avessa a novidades ou de mudança de postura. Prefere-se a enfrentar longos engarrafamento mas não se desvia das avenidas principais. O resultado são os gargalos pontuais que se vê no trânsito diariamente.
          O entorno do túnel da Conceição é um exemplo disto. Existem vários caminhos para quem quer acessar a Av. Castelo Branco em direção a free-way. Da zona norte pode-se vir pelo porto seco, da leste pela Manoel Elias, do sul pela III perimetral, porém estas vias de acesso não são utilizadas em sua plenitude e a maior parte dos carros preferem dar a volta pelo centro.
          Quando começaram as obras de restauração do túnel os agentes de trânsito fizeram uma grande campanha alertando para os novos caminhos abertos para desafogar o túnel. Num primeiro momento o recado foi assimilado e não se viu grandes congestionamentos naquela região mas, o que deveria ser uma boa  notícia, virou uma faca de dois gumes. Parte dos condutores estão percebendo que a passagem pelo túnel está tranqüila e estão voltando a circular pelo local das obras, agora com metade da via obstruída por tapumes nos dois sentidos. Resultado: voltaram os congestionamentos pontuais e as rotas alternativas estão ficando sub-utilizadas.
          Deveria a EPTC, que coordena o trânsito de Porto Alegre, manter uma equipe permanente na entrada do túnel para conscientizar os motorista a evitar trafegar por alí, inclusive com campanha nos meios de comunicação. Proporia mais: Proibir o acesso de carros de passeios que tivesse apenas o condutor, não importa o pretexto. O acesso seria permitido apenas  para ônibus de qualquer tipo, táxis-lotação, táxis, vans, caminhões e carros com mais de um usuário.Note que pela minha sugestão não haveria nenhuma restrição a veículos de grande porte para não tumultuar o trânsito em outras partes da cidade.
          Acredito que após os longos 15 meses previstos para a concretização da reforma os motoristas adotariam em definitivo o novo trajeto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário